terça-feira, 15 de março de 2016

Dama Bier Fest 2016

Que viajar é bom todo mundo sabe, mas quantos quilômetros você percorreria para beber cervejas? Bom, os amantes do líquido sagrado, como nós, podem responder melhor.

Ultimamente, no Brasil, os festivais de cervejas têm crescido significativamente e novos adeptos às cervejas de qualidade têm aparecido. O evento mais popular e esperado sempre foi a Oktoberfest em Blumenau/SC, porém com o aparecimento das novas cervejarias e microcervejarias o calendário dos festivais dura praticamente o ano todo, como o Festival Brasileiro de Cerveja  (Blumenau), A Pint With the Queen (São Paulo), Mondial de la Bière (Rio de Janeiro), dentre outros. Aqui em Ribeirão Preto o IPA Day já completa cinco anos em 2016 e o mais recente Slow Brew Brasil vai para o seu terceiro ano.
No último fim de semana de fevereiro, a Cervejaria Dama realizou o evento Dama Bier Fest que completou seu segundo ano e comemorou os seis anos de existência da cervejaria e é claro que (com a ajuda da sorte) a Rokck´Hops não poderia ficar de fora e viajar aproximadamente 206 km valeu totalmente a pena. E a gente te conta por que.
Localizada em Piracicaba –SP a Dama iniciou suas atividades  em 26 de janeiro de 2010 e tem cervejas de altíssima qualidade. O evento contou com oito rótulos da casa, sendo dois lançamentos e seis cervejarias convidadas: Burgman, Way+Stillwater Artisanal, Tupiniquim, Invicta, Urbana e Caldera.  A gastronomia foi sensacional  para todos os gostos incluindo comida vegetariana  e quem animou a galera foi o blueseiro Adriano Grineberg (conhecido nosso de outros festivais) e a nossa amada conterrânea Senhor X, mandado os clássicos do Rock com muita personalidade.
Várias coisas nos impressionaram nesse evento. Primeiramente nós adoramos Piracicaba, fomos muito bem tratados e atendidos desde a chegada até a recepção do hotel (que tinha rangos ótimos, por sinal). Nos surpreendemos com seu tamanho, achávamos pequenininha, porém tem um coração enorme e são muito hospitaleiros.  A chegada ao evento foi tranquila, sem filas, sem transtornos e logo já nos apaixonamos pela caneca que acompanhava o livreto informativo. Os estandes para as bebidas eram rápidos e as filas MUITO organizadas sem furos, sem reclamações, sem problemas, numa relax, numa tranquila, numa boa (rs). Água á la vonté tanto para beber quanto para lavar nossas canecas. O espaço da festa era muito aconchegante e dava acesso à cervejaria o que dava mais vontade de beber ao ver os fermentadores piscando pra gente. Confesso que ao avistarmos banheiro químico, já deu um friozinho na barriga mas o feminino era ótimo com direito a espelho, pia, enxaguante bucal e lencinho umedecido, quer mais o que? Na saída a lojinha era um colírio pros olhos e  voltar de lá sem nenhuma garrafa é um total desperdício sem contar que a sacolas são lindas. Fim de festa, e ninguém bêbado, ninguém passando mal, ninguém enchendo o saco (rs) e as 20h (fim do evento) só alegria e um gosto de quero mais.  Vocês devem estar se perguntando: nossa, o evento foi perfeito então? E a gente responde: SIM e o público que era aproximadamente de 700 pessoas fizeram um dos melhores festivais que já fomos.
Esse evento nos encheu de alegria, álcool, danças (rs) e muito orgulho de uma cidade que tivemos o prazer de conhecer e que deixou saudades não só pela cerveja, mas pelo seu povo ímpar e educado que nos recebeu de braços abertos.